4 Princípios Simples que Usei para Perder 35 kg

“O homem que move montanhas começa carregando pedras pequenas.” – Confúcio

Quando tinha 18 anos, eu estava acima do peso. Não incrivelmente acima do peso, mas bem visivelmente. Tinha ficado complacente. Tinha decidido que era genético, que não havia nada que eu pudesse fazer a respeito. Mas, depois de perceber para onde estava me encaminhando, decidi mudar.

De início, as mudanças não foram muito visíveis. Mas, com o tempo, parecia que eu estava simplesmente perdendo peso sem fazer nada. Inconscientemente, eu havia me beneficiado de quatro excelentes princípios para auto-aperfeiçoamento em longo prazo.

1. Concentre-se primeiro nas metas em longo prazo

É ótimo fazer um plano de ação diário, e isso pode manter você sob controle quando mais precisar. Mas, às vezes, a melhor forma de ter uma perspectiva mais ampla é pensar em longo prazo. Assim, você pode considerar todos os fatores envolvidos em realizar algo com sucesso, ou fracassar.

É uma loucura a maneira como pequenas coisas se acumulam com o passar do tempo. Digamos que você engorde uns 30 gramas em determinado dia. Não parece muito, não é? Porém, ao longo de um ano, você terá ganhado quase 11 kg. Em cinco anos, uns 55 kg. Eu nunca notei meu peso aumentar, mas ele aumentou mesmo assim. Eduque-se a pensar em longo prazo, e registre cuidadosamente pequenas mudanças que podem aproximar você da sua meta, ou afastá-lo dela.

Pense em como ações pequenas, minúsculas, podem ter impacto sobre suas metas em longo prazo – sejam essas ações os seus hábitos financeiros, seus hábitos alimentares ou seus hábitos de produtividade (ou falta dela). Adquira a mentalidade de que a sua missão é em longo prazo e comece a tomar decisões com base nisso. Deixe para trás a gratificação imediata e empenhe-se pela verdadeira satisfação e felicidade.

2. Identifique os principais obstáculos e supere-os

Quando se está enfrentando qualquer coisa na vida, é uma ótima ideia identificar os principais inimigos. Descubra o que está impedindo você de atingir suas metas. Analise em detalhes e inclua todas as pequenas coisas que vêm da mesma fonte.

Um dos obstáculos mais comuns é a mentalidade de vítima – acreditar que você é o alvo de alguma cruel piada cósmica, que tem pouco poder para tomar qualquer atitude que mude isso e não fazer nada.

Se você passa trabalho para perder peso, seu apetite – ou, como prefiro chamar, a fome – é parte do principal inimigo. Você poderia experimentar comer apenas quando sentir fome. Mas, caramba, eu sentia fome o tempo inteiro!

A outra metade do inimigo é acreditar que sua fome é algo impossível de mudar. Na maioria dos casos, tem pouco a ver com genética… Você apenas está se condicionando a sentir fome o tempo todo pela quantidade de alimento que ingere, especialmente se o que come não ajuda você a ficar satisfeito.

Mas não era só a fome também. Como em qualquer outro caso, raramente se enfrenta um único problema. Há os hábitos alimentares não saudáveis, a falta de exercício, a mentalidade de vítima e muito mais.

Assim, a primeira coisa que enfrentei foi a minha fome. Passei a comer menos, em intervalos de 4 horas, e me concentrei em ficar ocupado para não notar a fome – ou ceder a ela. Também tentei comer mais fibras e proteínas. Depois de duas ou três semanas, já não sentia tanta fome. Eu ficava satisfeito com uma porção e não voltava a ter fome por mais quatro horas.

3. Identifique seus principais aliados e torne-os ainda melhores

O que você já está fazendo que serve como aliado?

Tire um tempo para pensar seriamente nas coisas que está fazendo que realmente ajudam você a se aproximar da sua meta e separe estas das coisas que supõe ser de ajuda.

Qual foi a última surpresa agradável que teve (referente à sua meta), e como aconteceu?

Se você fez algum progresso inesperado rumo à sua meta, tire um tempo para analisar o que foi realmente responsável por isso. Mas lembre-se de que coincidências às vezes acontecem; então, se estiver em dúvida, não se preocupe demais com isso.

Não precisa necessariamente ser algo que você faz. Às vezes, os melhores aliados são encontrados em interesses que você já possui e simplesmente ainda não se beneficiou deles. Por exemplo, talvez você seja incrivelmente apaixonado por determinado esporte, mas passe seu tempo assistindo, não jogando.

Eu odeio usar transporte público e prefiro caminhar. Então, comecei a ir todos os dias a pé para a escola; depois para a universidade. Eram cerca de 30 minutos de caminhada cada dia. De ônibus, dependendo do tempo de espera, levava mais ou menos 15 minutos, incluindo o tempo necessário para ir caminhando até o ponto e voltar. Assim, gastando 20 minutos a mais por dia, adicionei à minha rotina diária 50 minutos de exercício leve.

4. Concentre-se na sustentabilidade

As pessoas que fazem dietas radicais também têm uma tendência a recaídas extremas. Um amigo meu perdeu quase 30 kg em dois meses, seguindo um daqueles programas do tipo ‘praticamente morra de inanição e chame de dieta’, só para recuperar tudo em pouco mais de 3 semanas.

Os métodos que normalmente se usaria para perder peso extremamente rápido não costumam ser algo que se possa manter indefinidamente. E tudo o que resta para algumas pessoas, quando sofrem uma recaída, são os hábitos que tinham quando eram obesas. Então, se quiser perder peso de modo radical e não recuperar tudo depois, concentre-se em ter hábitos mais moderados para adotar quando terminar a dieta.

Um ano depois de começar, eu tinha perdido mais de 30 kg, sem sinais de recaída. Eu não fiz uma dieta da forma tradicional nem fiz exercícios de modo excessivo; apenas modifiquei meus hábitos usando esses princípios simples. Isso realmente ilustra o poder de mover uma pedra de cada vez.

Não se esforce até o esgotamento. Não seja só mais um que fez uma dieta e voltou à mesma. Encontre o equilíbrio entre buscar sua meta e se manter feliz.

Existe algum princípio que lhe foi útil ao longo dos anos?

Leave a Reply

AutoEstima em 30 Dias