Como Melhorar a Autoestima – O Guia Definitivo

O que é a Autoestima?

A autoestima, por definição, é o valor que você dá a si mesmo.

Dependendo da forma como você mede seu valor e mérito, você pode estar ao lado positivo da autoestima ou ao lado negativo da mesma.

Atualmente, somos cerca de 7 bilhões de seres humanos no planeta. E não importa o quão difícil ou duradoura seja a sua busca, você nunca encontrará nenhuma pessoa, entre estes 7 bilhões de humanos, que seja perfeita.

Ninguém é perfeito. E, no entanto, estamos tentando tão desesperadamente sermos perfeitos.

Quase todos nós queremos ser, se não perfeitos, pelo menos, acima da média. Dessa forma, a barreira para “acima da média” aumenta ainda mais. E não importa o quão difícil você tente, pode acabar se sentindo insatisfeito com o seu desempenho pois não podemos estar acima da média.

 

A boa notícia é que você não precisa estar nem perfeito nem acima da média para ter uma vida agradável e realizada e pode aprender como melhorar a autoestima. 

 

Como Melhorar a Autoestima de forma permanente  – Os três pilares da autoestima

 

  1. Como melhorar a autoestima – Aceite a si mesmo.

como melhorar a autoestima

Portanto, medir o seu valor deve vir dentro de você e não dos padrões dos outros.

Veja a si mesmo como um pedaço de um quebra-cabeça. Para algumas pessoas, você será um ajuste perfeito, para outras, você nunca caberá, não importando o quão difícil seja sua tentativa.

Este fato não tem relação com quem você é, e não tem relação com o quão grande, inteligente e excelente você é. É simplesmente o fato de que cada um de nós é um ajuste perfeito em uma imagem ou outra, mas não em todas as imagens.

 

Pergunte a si mesmo:

  • Em quais imagens você deseja se encaixar?
  • Em que quebra-cabeças o seu melhor é suficiente?
  • Quem são as pessoas para quem você é perfeito?

 

Questione a si mesmo, pois uma grande parte daquilo que permite seu verdadeiro valor reside nas respostas destas questões.

 

Então, primeiro, aceite a si mesmo como você é. Você é um ajuste perfeito para muitas pessoas e em muitas situações. Encontre seu lugar perfeito e expanda-o quando sentir vontade, e não quando outras pessoas estão pedindo que faça o mesmo.

 

  1. Como melhorar a Autoestima – Você é quem define a sua imagem pessoal.

Construa um ego forte e positivo, o que significa saber quem você é e não é. Valorize suas habilidades, suas capacidades, seus talentos e seu potencial. Sempre que duvidar de si mesmo, lembre-se, você é um indivíduo único e, como qualquer outra coisa única neste mundo, é inestimável.

Há coisas que ninguém mais sabe fazer melhor do que você. E, se você ainda duvidar de si mesmo, faça isso de qualquer maneira, pois estará crescendo ainda mais através de suas ações e comportamentos ao invés daquilo que acredita e pensa de si mesmo.

 

  1. Como melhorar a Autoestima – Aprenda a desistir.

 

ser mais positivo

Já ouviu o ditado: “nunca desista!”?

Sim!

Provavelmente, todos nós ouvimos.

E seguimos nossa vida como se isso fosse uma verdade única. Então, continuamos e seguimos em frente fazendo algo, mesmo que vejamos claramente que “isso não está indo muito bem” até que nos dói tanto alguém ou algo externo tenha que intervir para dizer:

PARE! Simplesmente, pare!

 

  • Desista de tentar satisfazer a todos.
  • Desista dos sonhos que se transformaram em pesadelos.
  • Desista das pessoas pelas quais sente que nunca são suficientes.
  • Desista de tudo e todos que impedem que você consiga o melhor.

 

Analisando a realidade

  1. Se você tem uma baixa autoestima, quero que conheça abaixo. Seu problema não é o pior!

Outras pessoas passaram por isso. Sua situação não é impossível de resolver.

Afinal, a autoestima é um produto da sua mente. E isso significa que está em suas mãos em mudá-la e melhorá-la, para chegar a um ponto no qual você não mais pensará ou falará sobre o assunto, mas será algo que virá naturalmente de você.

Será quem você é, sem explicações necessárias, sem palavras necessárias, sem necessidade de definição, sem necessidade de pensar.

Isso não quer dizer que ter uma baixa autoestima seja culpa sua e falaremos um pouco mais tarde sobre o que causa a sua baixa autoestima.

Mas, primeiro, quero avisá-lo que:

  • procurar em coisas de papel, pode não encontrar o quer;
  • lembre-se do que é mal para você;
  • ser lembrado de coisas que possa ter perdido na vida por não ter autoestima pode te deixar triste.

Comecemos com essas coisas, pois você precisa saber em que lugar está de pé, hoje. Você deve reconhecer seu ponto de partida, hoje.

No entanto, fique até o final e descubra como você pode melhorar a sua autoestima de modo positivo e viver uma vida maravilhosa e bem-sucedida.

As pessoas que têm autoestima não sabem que a têm.

Elas não pensam nisso, não falam sobre isso; É simplesmente a maneira como elas são.

 

E é este o meu objetivo do artigo:

Quando você terminar de ler, de ser esta pessoa que age e se comporta com confiança, auto-apreciação e, finalmente, com autoestima sem sequer pensar nisso. Apenas seja quem você quer ser.

 

  1. Não importa o que faltar, você estará compensando isso com outra coisa.

Trabalhei com pessoas que me disseram:

“Eu nunca poderia gostar de mim mesmo por ser feio”;

Eu tenho um nariz grande;

Eu não sou tão inteligente quanto os meus colegas;

Eu sou …”

 

Sim, algumas das coisas que está dizendo para si mesmo são verdadeiras, ao menos, verdadeiras do seu ponto de vista (a beleza está nos olhos de quem vê, por exemplo).

Sim, não somos todos inteligentes, bonitos, talentosos, ricos, espumantes ou bem-sucedidos em tudo o que fazemos. Sim, você não é perfeito e sim, bem-vindo ao clube! O restante de nós também não é perfeito.

Cada um de nós tem algumas falhas, algumas coisas pelas quais não estamos muito orgulhosos. No entanto, eu quero que saiba que, não importa o que faltar, você estará compensando isso com outra coisa.

Além disso, sua autoestima não deve estar presa a apenas alguns detalhes negativos de você, ignorando os muitos detalhes factuais sobre você.

 

Como eu disse, a autoestima é um produto de sua mente.

Não importa como você aparenta, não importa o quão inteligente você seja, não importa quão rico seja, não importa quantos amigos tenha, você pode construir sua autoestima porque depende de si mesmo dar seu próprio valor.

Estou dizendo isso porque às vezes, estamos confundindo alguns fatos sobre nós mesmos com as causas e os efeitos da baixa autoestima.

Por exemplo:

Não ser muito bom ou não ser muito inteligente ou desfavorecido financeiramente não faz com que você tenha baixa autoestima. No entanto, ter pouca autoestima pode fazer você acreditar que não é bonito o suficiente, que não é inteligente o suficiente e assim por diante. A baixa autoestima pode fazer com que perceba e aceite como verdade apenas os fatos negativos sobre você.

 

Lembre-se:

Qualquer coisa que possa ter estará compensando isso com outra coisa.

Por cada fato negativo sobre você, existem outras dezenas de fatos positivos. É tudo sobre o que escolhe perceber e não sobre o quão grande você é.

E agora vamos falar sobre algumas causas da baixa autoestima e algumas maneiras de lidar com elas.

Embora a autoestima seja o produto de sua mente, a baixa autoestima não é culpa sua.

Vejamos algumas coisas possíveis que fizeram sua mente valorizar a si, menos do que realmente vale a pena.

Algumas causas e maneiras de superar a baixa autoestima.

  1. Experiências e eventos traumáticos.

Situações nas quais uma experiência ou evento traumático pode causar a baixa autoestima:

  • Você não recebeu o apoio necessário após o evento traumático.
  • Você se sente julgado / culpado pelo evento traumático.
  • Você se sentiu solitário e abandonado.
  • A pessoa que originou o trauma não foi punida como você esperava.
  • Ninguém ouviu você ou aqueles que ouviram reagiram a você sem compaixão e sem compreensão.
  • Você sente que não pode dizer a ninguém sobre o que ocorreu e sobre o evento, mesmo que não seja culpa sua, agora se sente como um grande segredo vergonhoso.

 

Estes são apenas alguns exemplos de como uma experiência ou um evento traumático pode baixar a sua autoestima. Provavelmente, você também conhece outros exemplos, vividos por você ou por alguém que conheça.

  1. Pais ou família em conflito.

Nós tendemos a levar as coisas a sério.

Tudo é sobre o “eu”.

No nível intelectual, como adulto, você entende que os conflitos e lutas que sofreu não eram sobre o seu “eu”.

No entanto, a nível emocional, é possível que, até hoje, sinta-se culpado de alguma maneira, que causou o evento.

Sabe de uma coisa? Era sobre você! Mesmo que não tenha causado o conflito, era sobre você.

Era sobre você, porque provavelmente se sentiu impotente, sentiu que necessita tornar-se pequeno e insignificante, então não causaria mais conflitos.

Era sobre você porque não importa o quão desinteressado seja, o centro de seu universo é você. Você mora dentro de sua mente e de seu corpo e só você sabe o que está acontecendo lá, na sua mente e no seu corpo. Então, sim! É sobre você!

Se ainda não é sobre você, fale sobre você.

  • você foi o único que sofreu, sem culpa;
  • você foi o único que não tinha voz;
  • você quem pagou o preço e este preço é sua autoestima.

Não significa que deve começar a culpar as pessoas.

Mesmo que elas mereçam a culpa e estejam envergonhadas, para curar-se e construir sua autoestima, dê um passo para cima como sendo um daqueles que lhe prejudicaram. Suba, olhe para si mesmo com compaixão e compreensão.

 

  1. Sendo incapaz de atender aos padrões e expectativas de seus pais.

Infelizmente, algumas pessoas nascem com um emprego. Seu trabalho é realizar na vida o que seus pais não fizeram ou exceder as realizações de seus pais.

Você deve fazer coisas extraordinárias e ser excepcional.

Não somos todos super brilhantes e super talentosos. A maioria de nós está simplesmente na média!

  1. O fraco desempenho acadêmico.

 

Existem muitas razões para um fraco desempenho escolar acadêmico e, surpreendentemente, muitas dessas razões têm pouco a ver com o quão inteligente, talentoso e dedicado você é.

Independentemente dos motivos, as consequências do fraco desempenho acadêmico podem ser devastadoras, especialmente se você nasceu “trabalhando”.

 

  1. Ser parte de uma família ou grupo em que as pessoas tenham um preconceito.

 

O preconceito pode trazer a você uma atitude negativa de outras pessoas.

Uma atitude negativa que poderia fazer você sentir a necessidade de extrema compensação; faz você sentir a necessidade de se pôr à prova, uma e outra vez.

Sentindo-se envergonhado, confuso e talvez uma falsificação, pode levá-lo um pouco mais do que gostar de si mesmo e um passo mais perto da baixa autoestima.

 

  1. Sendo diferente.

Ser diferente chamará sua atenção. Às vezes, uma atenção indesejada e outras, uma atenção negativa.

As pessoas geralmente não falam sobre o que é comum, não se ri do comum, não julgam o ordinário e nem sequer percebem o normal.

Então, ser diferente pode fazer de você um alvo para todas essas coisas e, às vezes, toda essa atenção é irresistível.

 

Comemore o que há de diferente em você.

Você é único, e sua singularidade traz algo novo para o mundo, enriquece o mundo e daqueles ao seu redor.

Primeiro, deixe as pessoas se familiarizarem com o que há de diferente em você.

Segundo, ensine as pessoas sobre o que te torna diferente.

Terceiro, use o que é diferente em você para se destacar de forma positiva.

 

  1. Tendo como padrão pessoas com baixa autoestima ou julgamento negativo.

Você não pode ser diferente do que aprendeu.

Você aprende comportamentos, atitudes, padrões de linguagem e até mesmo crenças de padrões em sua vida.

Se o seu padrão na medida em que foi criança for de baixa autoestima, você modelou isto.

Você não conhece o que não sabe, e não pode saber sobre coisas pelas quais não tenha a consciência que existem.

 

  1. Repetição de negligência, punição e / ou abuso.

 

Sentir-se seguro, protegido e amado é essencial para um estado mental positivo.

Cada um de nós deseja saber que somos dignos o suficiente, que valorizamos o suficiente, que planejamos o suficiente para termos um lugar suave ao cairmos.

Acontece que este lugar suave ao cairmos em vez de ser um lugar de calma, segurança e proteção, é exatamente o oposto. Confuso, não? A mão que está acariciando você será a mesma que atinge também?

 

  1. Fim de frustrações, estresse, tristeza e insatisfação de outras pessoas em sua vida.

Algumas pessoas não sabem como enfrentar seus problemas, então estão levando-os para pessoas que estão por aí.

Você não tem culpa disso. No entanto, novamente, você é quem paga o preço pela incapacidade de outras pessoas de lidarem com a vida, ou de resolver seus problemas, ou de expressar o que elas desejam.

 

  1. Ausência de elogio, carinho, interesse e de sentir-se amado.

Você é colocado nesta Terra para ser amado e amar de volta. Para ser apreciado e apreciar. Para receber carinho e interesse e oferecer carinho e interesse.

Se essas necessidades humanas básicas estão perdidas em sua vida, é claro, você terá dificuldade em valorizar-se e para enxergar o bem que existe em você.

  1. Ser oprimido.

O assédio moral pode assumir muitas formas, desde a provocação e o apelido até bater / chutar e fazer gestos com as mãos ofensivos, ameaçar danos e espalhar rumores maliciosos em público, tomar ou prejudicar as coisas de alguém.

 

Quando falamos de bullying, muitas vezes pensamos que esse comportamento está acontecendo apenas entre crianças da escola. No entanto, se você foi o receptor final do bullying, sabe muito bem que não é assim.

O bullying pode acontecer com qualquer pessoa, a qualquer idade, e em muitos ambientes diferentes: escola, trabalho, entre amigos, família, entre vizinhos.

Com o avanço da tecnologia, ser oprimido não está mais limitado a apenas um ambiente.

O bullying está acontecendo com você em todos os lugares que anda, com a ajuda da internet e dos telefones.

Algumas formas de bullying podem ser facilmente reconhecidas. Outras formas são mais difíceis de serem denominadas e reconhecidas, especialmente quando:

  • é feito por alguém que você ama e supostamente lhe corresponde.
  • ou alguém de quem você não possa escapar devido a circunstâncias, alguém como um irmão, pai, cônjuge, empregador, figura de autoridade, amigo.

 

A chantagem emocional é uma das formas de bullying que é mais difícil de reconhecer e de ser admitida.

A boa notícia é que a sociedade agora sabe que o bullying não é um construtor de personagens “inocentes”, mas uma arma que afeta negativamente e que tem o potencial de destruir vidas.

Portanto, hoje, você tem muitas ferramentas e muita ajuda à sua disposição para lidar com o bullying de uma forma que saia com vitória.

Se você sofrer bullying, não sofra em silêncio. Peça por ajuda!

 

  1. Recebendo mensagens confusas da mídia e da sociedade.

Estes são os momentos em que vivemos atualmente:

De um lado, é dito a você sobre como merece, sobre como é valioso, sobre como tem o direito somente de coisas boas e incríveis, mas raramente recebe tais coisas boas e incríveis.

Por outro lado, você é solicitado e encorajado a levar somente coisas positivas a tudo e a todos que o rodeiam. E quando se trata de você, é convidado e encorajado a analisar-se constantemente, criticar, culpar, questionar, duvidar, melhorar, levantar-se, colocar-se, deixar-se de lado.

Além disso, é dito a você que o ego é uma coisa ruim.

 

Todas essas mensagens conflitantes podem ser confusas e podem fazer sentir-se que não é bom o suficiente; Pode ser algo errado em você, considerando que não obtenha as coisas que lhe dizem que merece, mas tem o direito. Não é de se admirar que muitos de nós tenha uma baixa autoestima.

Mídia

Pegue quase todas as revistas e notará em uma página: como merece, como está orgulhoso e como tem os mesmos direitos e na próxima página vê que você não é suficientemente magro ou suficientemente alto ou suficientemente inteligente e que não é o bastante. Sem mencionar os belos e brilhantes “modelos” com os quais deve se comparar.

 

Alguns anos atrás, uma supermodelo foi questionada em uma entrevista para a TV sobre qual era o maior problema em sua vida. A resposta foi, no mínimo, surpreendente.

Ela disse que seu maior problema era que ela nunca poderia ver nada na vida real como via o quadro de avisos pelo qual passava todos os dias a caminho de casa.

 

Sociedade

Espera-se que você se conforme com os padrões, e depois que fizer isso, receberá queixas por não ser excepcional, ou será culpado pelas consequências de se conformar com os padrões.

Tomemos como exemplo, quando você sai de casa; as pessoas esperam que você coma! TUDO que é colocado na sua frente. Você é “legal” e pertencente somente quando você o faz.

Mas é culpado se tiver excesso de peso.

O mesmo vale  para o álcool.

No final, as pessoas vão dizer-lhe: “Nós não obrigamos você a [comer, beber]. A culpa é sua.” Mas a realidade é que, muitas vezes, você é forçado a comer ou beber ou a fazer coisas pelas quais será culpado mais tarde.

 

Mídias sociais

Você, provavelmente, todos os dias, seleciona as experiências de algumas dezenas de pessoas de poucos milhares que tenha como amigos na internet.

Você vê e recebe principalmente coisas interessantes sobre essas pessoas. Elas raramente publicarão o quão entediadas, sem inspiração, preguiçosas ou mal sucedidas são, certo?

Esse fato pode fazer com que você sinta que sua vida seja chata, comum e totalmente sem emoção.

Não pode se sentir de outra maneira quando compara a vida de uma única pessoa com os quadros selecionados das vidas de algumas dúzias de pessoas.

 

É como selecionar as melhores cenas de milhares de filmes e compará-los com outro único filme.

  1. Um diálogo e julgamento interior negativo.

 

O tipo de pessoa cujas palavras tenham a maior influência sobre você e sobre sua autoestima são suas próprias palavras.

 

Você não precisa de outras pessoas que o intimidem para que seja intimidado. Você não precisa de outras pessoas para colocá-lo para baixo para se sentir fraco. Você não precisa de outras pessoas que o oprimem para que seja oprimido.

Por quê? Porque se tem uma baixa autoestima, provavelmente é muito bom em fazer todas essas coisas consigo mesmo.

Agora ouça, se começar a culpar-se por isso, é apenas mais um modo de se sentir extremamente infeliz.

Mais adiante, vou lhe dizer como pode parar de se culpar e como pode mudar a maneira como conversa consigo mesmo e sobre você.

 

  1. Guardando o “grande e terrível segredo” para você.

De qual segredo estou falando?

É o segredo que lhe mantém acordado durante a noite. É o segredo que acredita que, se der certo, sua vida será arruinada para sempre.

É o segredo que faz você se sentir como uma fraude e tem medo de que seja apenas uma questão de tempo até que as pessoas saibam o quão é horrível para você.

Qual é o “grande e terrível segredo”?

Para algumas pessoas pode ser o inocente: “Eu gosto de chocolate demais”. Para outras, pode ser o tão inocente “Eu traí meu melhor amigo”. E para outras, pode ser sobre coisas que não são nossa culpa como: “Eu fui molestado, abusado, vitimado. “

 

O impacto negativo sobre sua autoestima não é medido pela gravidade ou sujeito de seu segredo (se houver um), mas pelo significado desse segredo para você.

Eu não sou grande fã de compartilhar seus segredos. Eu sou grande fã, no entanto, de fazer reparações, lidar, resolver, superar tudo o que lhe impede de se tornar a grande pessoa que quer ser e pode ser!

Leave a Reply

AutoEstima em 30 Dias